Otoplastia

Considerações gerais

A orelha de abano é o defeito estético mais comum da orelha, muitas vezes de caráter familiar e constitui-se numa identificação negativa pelo fato de poder gerar ponto de piadas e gozações na infância. Isto pode ocasionar marcas profundas no comportamento e desenvolvimento psicológico da criança.

A idade em que mais comumente faz-se essa correção é após os seis anos, período em que a orelha praticamente já definiu seu crescimento e está quase igual ao tamanho que ficará quando adulto. Além disso, no período pré-escolar não houve início da fase em que podem ocorrer os problemas de ordem psicológica para o futuro, como a timidez e a dificuldade no relacionamento interpessoal.

 

Anestesia

Em crianças muito pequenas e ansiosas opta-se pela anestesia geral, já em crianças maiores e adultos opta-se pela anestesia local com ou sem sedação. No caso de anestesia local não há necessidade de internamento hospitalar, mas se for realizada a sedação é conveniente a internação por aproximadamente 4 horas.

 

Operação e cicatrizes

A cirurgia leva de 60 a 90 minutos em média e a cicatriz é praticamente imperceptível por localizar-se atrás da orelha, no sulco formado por esta e o crânio. Além disto, por tratar-se de uma pele muito fina, a cicatriz tende a ser bem fina. São dados pontos internos, com fios inabsorvíveis, os quais sustentarão a orelha em sua nova posição. Na pele é realizada sutura plástica com fio de nylon bem fino, o qual será retirado entre 7 a 10 dias após a cirurgia.

Após a cirurgia é feito um curativo oclusivo tipo “capacete” que  ficará aproximadamente 24 a 30 horas. Há frequentemente alguma dor no pós operatório que será combatida com analgésicos prescritos pelo cirurgião. Essa dor apresenta-se de caráter variado de acordo com a sensibilidade de cada paciente. Para se observar os resultados definitivos deve-se decorrer um certo tempo no pós operatório, que varia de 30 a 90 dias.

 

Pós operatório

É feita uma hipercorreção no início, mas com o decorrer do primeiro mês a orelha tenderá a assumir uma posição mais natural. Para reduzir o risco de recidivas costuma-se recomendar o uso de faixa elástica grossa contensora ( faixa de tenista, ballet ou gorro que cubra a orelha) por um período de aproximadamente 02 dias durante 24 horas e após por mais 15 a 20 dias somente à noite, evitando assim que a orelha sofra uma dobra enquanto o paciente dorme. Convém salientar que poderão permanecer certas assimetrias, pois mesmo pessoas sem orelha de abano não são absolutamente simétricas.

 

Cuidados pré- operatórios

  1. Evitar aspirina ou medicamentos que contenham aspirina nas 2 semanas que antecedem a cirurgia. Esses medicamentos interferem na coagulação do sangue e podem ocasionar sangramento.
  2. Avisar o médico no caso de gripe ou febre que surja na semana que antecede a cirurgia.
  3. Programar as atividades sociais, de trabalho, domésticas ou escolares, com antecipação, para não se tornar indispensável a terceiros devido ao tempo de afastamento que ocorrerá no pós- operatório.
  4. Lavar a cabeça e os cabelos, em casa, no dia da cirurgia com sabonete antisséptico ( Protex)
  5. Não levar ao hospital nenhum objeto de valor, travesseiros ou cobertores. Retirar brincos, anéis, correntes e outros objetos metálicos, levando somente os valores necessários.
  6. Se o paciente tem cabelos compridos não há necessidade de cortá-los, pois eles serão úteis para disfarçar a área operada nos primeiros dias.
  7. Ir ao hospital acompanhado.

 

Instruções pós-operatórias

  1. Observar repouso relativo em casa por um período de 2 dias quando será liberado para retorno às atividades normais.
  2. Evitar sol, frio ou trauma direto por um período de 30 dias.
  3. Usar faixa elástica durante 24 horas por 15 dias e após somente à noite por mais 15 a 20 dias.
  4. Banho de chuveiro será liberado após o 2º a 3º dia ou a critério do cirurgião após a troca dos primeiros curativos.
  5. Alimentação normal.
  6. O primeiro curativo será realizado pelo médico ou sua enfermeira, no dia da alta, ou orientado ao paciente que o mesmo realize-o.
  7. Os pontos serão retirados entre o 7º e o 10º dia
  8. Avisar o cirurgião imediatamente se houver dor muito forte ou inflamação.
  9. Retornar nas datas programadas para troca de curativos, retirada de pontos e revisões da cirurgia.
  10. Proibidos banhos de sol sobre a cicatriz por no mínimo 90 dias.
  11. Evitar banhos de mar e piscina por 20 dias.