Medicina Estética

Drenagem Linfática

Como funciona: É uma técnica de massagem que estimula o sistema linfático, com o objetivo de eliminar líquidos, toxinas, edemas (inchaço) e melhorar a circulação. Assim, acelera o processo de recuperação após a realização de cirurgias plásticas, tanto faciais quanto corporais.

Ela é aplicada com movimentos de pressão leve, suaves, rítmicos, lentos e precisos.

Sessões: Recomenda-se um mínimo de dez sessões intercaladas para um resultado efetivo

 

Hidratação Facial

Como funciona: É um tratamento para reposição de água da pele. Nela, utiliza-se uma máscara hidratante específica para cada tipo de pele. Essa aplicação é feita após a área ser higienizada (limpa e tonificada), esfoliada e ter recebido uma massagem para otimizar a penetração dos princípios ativos selecionados. Por fim, um filtro solar é aplicado.

Sessão: Varia de acordo com a necessidade e tipo de pele

 

Limpeza de Pele

Como funciona: Tratamento que promove a higienização profunda da pele, retirando células mortas, extraindo cravos e espinhas. Após o processo de limpeza, esfoliação e tonificação, a pele recebe uma loção emoliente que, estimulada pelo vapor de água, auxilia na abertura dos poros, facilitando a extração das impurezas. A próxima etapa é a ionização, ou seja, uma estimulação elétrica promovida por um aparelho de corrente galvânica de baixa intensidade, que induz a uma penetração mais profunda de princípios ativos hidratantes.  Por fim, é feita uma massagem para estimular a circulação local e o ritual é finalizado com a aplicação de loção com fator de proteção solar.

Sessões: Depende da avaliação médica prévia e necessidade da pele. Em geral, recomenda-se uma vez por mês

Procedimentos

 

Face

  1. Cirurgia do queixo (Mentoplastia)
  2. Rejuvenescimento da fronte (Lifting Frontal) e suspensão das sombrancelhas (Brown-lift)
  3. Mini rejuvenescimento da Fronte (Mini Facelift)
  4. Rejuvenescimento facial (Ritidectomia)
  5. Aumento mandibular
  6. Aumento labial
  7. Remoção de sinais da pele (pintas e manchas)
  8. Cirurgia das pálpebras (Blefaroplastia)
  9. Plástica de Nariz (Rinoplastia)
  10. Cirurgia de orelha (Otoplastia)
  11. Transplante Capilar

 

Mamas

  1. Cirurgia para correção de assimetria mamária
  2. Aumento das mamas (Mamoplastia de aumento)
  3. Revisão do implante de mama
  4. Reconstrução mamária
  5. Redução de seios (Mamoplastia redutora)
  6. Redução de mama masculina (Ginecomastia)
  7. Mamoplastia periareolar

 

Corpo

  1. Cirurgia de Gastroplastia
  2. Prótese de Glúteo
  3. Cirurgia de reparação de cicatriz
  4. Mini redução de barriga (Miniabdominoplastia ou Mini Dermolipectomia Abdominal)
  5. Redução de barriga (Abdominoplastia ou Dermolipectomia Abdominal)

 

Contorno corporal

  1. Remodelamento corporal
  2. Lipoescultura
  3. Lipoaspiração

 

Procedimentos faciais estéticos

  1. Toxina Botulínica
  2. Remoção de marcas de nascença
  3. Peeling químico
  4. Peeling a laser
  5. Dermoabrasão
  6. Microdermoabrasão ou Peeling de Cristal
  7. Injeção de Colágeno
  8. Injeção de Gordura

 

1.a. Cirurgia do queixo (mentoplastia) 

Remodela o queixo, inserindo um implante ou realizando uma redução ou avanço do osso cirurgicamente. Aumento do queixo é normalmente feito junto com uma rinoplastia (plástica do nariz) ou em um completo rejuvenescimento facial para melhora do perfil dos pacientes.

Implantes podem ser de silicone sólido, enxerto ósseo ou enxerto de gordura do próprio paciente.

Duração: De 30 minutos a 2 horas, dependendo das circunstâncias.

Efeitos Colaterais: Dificuldade de falar e sorrir por alguns dias após a cirurgia devido ao edema (inchaço) que pode ocorre em maior ou menor grau. Se a cirurgia necessitar de suturas internas na boca, o paciente pode ser obrigado a ficar em dieta líquida por vários dias.

Recuperação: Se a cirurgia for realizada com a técnica intra-oral, podem ser necessárias suturas internas na boca, o paciente deverá ficar em dieta líquida por vários dias. Pacientes voltam a trabalhar em 1 semana e a fazer atividades físicas leves em média de 2 semanas.

Riscos: Possível sangramento, infecção, dormência facial ou reação à anestesia.

Contratura capsular no qual a cicatriz pode ficar endurecida. O implante também pode sair do lugar ou migrar para sair da pele, exigindo uma segunda cirurgia.

Resultados: Permanentes.

Tecnologia: Alguns implantes de queixo são inseridos pela parte de dentro do lábio inferior (incisão intra-oral) para evitar cicatriz no rosto. Aumento de queixo é normalmente feito em conjunto com lipoaspiração para remover gordura de baixo do queixo e pescoço.

Internação: Sem internação – normalmente o procedimento é realizado no consultório do médico, ou no paciente internado, se esse for realizar outros procedimentos estéticos.

Anestesia: Local com sedação

 

1.c. Lifting Frontal e Brown Lift (Rejuvenescimento da fronte ou suspensão dos supercilios) 

Corrige esteticamente fronte caída, pálpebras superiores e excesso de pele na testa. Foi desenvolvida para ajudar a melhorar as linhas horizontais e marcas que podem deixar pessoa com aparência de brava, cansada, ou triste. O rejuvenescimento da fronte é normalmente realizado em pacientes entre 40 e 60 anos, ajudando a minimizar os visíveis sinais da idade.

Duração: De 1 a 3horas

Efeitos colaterais: Dormência temporária, desconforto, coceira e inchaço. Pode ocorrer perda de cabelo ao longo da cicatriz. Em raras circunstâncias, os nervos que controlam os movimentos da sobrancelha podem ser afetados resultando numa perda de habilidade para levantar as sobrancelhas ou franzir a testa. Neste caso, uma segunda cirurgia é indicada para corrigir o problema.

Recuperação: Retorno ao trabalho: de 7 a 10 dias (em caso de cirurgia usando vídeo-endocópio). Atividades físicas: após 30 dias. Exposição ao sol após 2 meses. Uso de filtro solar após 30 dias com FPS 60.

Riscos: Possibilidade rara de infecção e sangramento.

 

Rejuvenescimento clássico: perda de sensação ao longo da linha da incisão. 

Se complicações ocorrerem durante o rejuvenescimento endoscópico: o cirurgião mudará para o rejuvenescimento clássico, o que vai resultar em uma cicatriz e um período de recuperação maior (menos de 1% de todos os procedimentos endoscópicos).

Resultados: Longa duração, rejuvenescendo a aparência.

Tecnologia: Usando o rejuvenescimento clássico, no convencional método “aberto”, o cirurgião fará uma incisão contínua, começando ao nível das orelhas e subindo para a linha do cabelo. A incisão normalmente é feita bem atrás da linha do cabelo de forma que a cicatriz não fique visível.

No rejuvenescimento endoscópico, ao invés de fazer uma longa incisão, o cirurgião fará de três a cinco incisões curtas no couro cabeludo, onde o endoscópio (aparelho de câmera parecido com um lápis), será inserido em uma das incisões. O cirurgião então usará outro instrumento inserido em uma outra incisão, onde a pele da testa é levantada e os músculos e tecidos subjacentes serão removidos ou alterados para produzirem uma aparência mais suave.

Internação: Com internação

Anestesia: Local, com sedação.

Geral

 

 1.d. Minilifting 

O minilifting foi desenvolvido para melhorar envelhecimento avançado no terço médio da face, bochechas e pálpebra inferior. Esse procedimento ajuda a restabelecer a harmonia facial como um todo, rejuvenescendo o pescoço e o terço inferior do rosto.

Duração: De 1 a 2 horas

Efeitos Colaterais: Desconforto temporário, machucado e dormência.

Recuperação: Aproximadamente 1 semana.

Riscos: Possibilidade de hematoma, infecção, reação à anestesia, cicatriz visível e lesão aos nervos.

Resultados: Longa duração, dependendo do estilo de vida do paciente. Ele pode ser afetado pelo envelhecimento natural, gravidade e elementos naturais.

Tecnologia: O minilifting pode ser realizado através de dois métodos diferentes, tanto sozinhos quanto associados: anterior ou posterior.

O minilifting anterior é para pessoas que necessitem de um rejuvenescimento do terço médio da face, sendo que o minilifting posterior é chamado, às vezes, de mini rejuvenescimento do pescoço, porque é feito em pacientes que querem melhorar a aparência do pescoço e linha mandibular.

Em geral, a pele é delicadamente puxada do tecido inferior. Um médico irá operar em um lado da face por vez, removendo uma seção de pele, em formato de S, da área. A pele é puxada e os músculos de baixo e tecidos são tensionados, reposicionados e o excesso de gordura é removido.

Internação: Sem internação

Anestesia: Local, com sedação.

Geral

 

1.e. Rejuvenescimento facial (Ritidectomia)

Melhora a pele flácida da face, mandíbula e pescoço, remove excesso de gordura, reposiciona o tecido que recobre a musculatura da face, remodelando a pele. A maioria dos pacientes que procuram rejuvenescimento facial são homens e mulheres com mais de 40 anos, que desejam rejuvenescer seus rostos.

Duração: Várias horas

Efeitos Colaterais: Equimose temporária, inchaço, dormência e sensibilidade da pele aumentada. Sensação áspera e pele seca. Homens terão de barbear-se permanentemente atrás das orelhas, devido ao reposicionamento da área onde cresce a barba.

Recuperação: Retorno ao trabalho: de 10 a 14 dias. Evitar atividades físicas mais fortes: 2 semanas ou mais. Equimose: 2 a 3 semanas.

Pacientes que fazem o rejuvenescimento facial devem evitar álcool, sauna e banhos muito quentes por vários meses. Também devem evitar se expor ao sol por vários meses.

Riscos: Infecção, sangramento, má-cicatrização,  cicatriz hipertrófica e queloidiana, assimetria ou mudança da linha capilar, dano aos nervos faciais (normalmente temporário, mas em alguns casos pode ser permanente)

Tecnologia: O local da incisão e a seqüência dos procedimentos dependerão da estrutura facial do paciente e técnica do cirurgião. Normalmente, as incisões começam acima da linha capilar e têmporas, se estendendo naturalmente em uma linha de transição entre a face e a orelha, e continua por trás do lóbulo da orelha até a parte de baixo do couro cabeludo. O cirurgião separa a pele da gordura e músculos abaixo, cortando e aspirando a gordura ao redor do pescoço para melhorar o contorno. O cirurgião reposiciona os músculos e membranas, puxando a pele de volta. Então ele remove o excesso.

Internação: Sem Internação – normalmente sem internação.

Se for utilizada anestesia geral, alguns pacientes precisam ser internados por um curto período.

Anestesia: Local, com sedação

Geral

 

1.f. Aumento mandibular 

Esse procedimento foi desenvolvido para aumentar e balancear o rosto de uma pessoa através do aumento das estruturas molares.

De silicone a gordura ou enxerto de ossos, os implantes de mandíbula são feitos de substâncias sintéticas ou biológicas. Aumento nessa área irá complementar outras características da estrutura facial, bem como redesenhar a mandíbula do paciente.

Duração: De 1 a 2 horas

Efeitos Colaterais: Equimose, inchaço e dormência temporários.

Recuperação: Mastigação restrita e possível desconforto com sorrir e falar durante as primeiras semanas após a cirurgia. Fale com seu cirurgião plástico sobre a higiene bucal durante a sua recuperação. Volta ao trabalho: aproximadamente 1 semana. Evitar atividades físicas mais vigorosas: recomendação de 6 a 8 semanas.

Riscos: Possibilidade de hematoma, seroma, dormência causada por lesão nos nervos, hiperpigmentação e desalinhamento do implante (necessário uma segunda cirurgia). Assimetria, a perda gradual ou reabsroção do osso e contratura capsular.

Resultados: Permanente – depende do material implantado

Tecnologia: O aumento de mandíbula mais comum é realizado com incisões internas feitas diretamente do lado de dentro da boca, em lados iguais do lábio inferior. Esse acesso permite ao médico criar uma “loja” que acolha o implante, o que ajuda evitar cicatriz visível. Para um contorno melhor e um queixo mais definido, o implante do paciente é colocado diretamente no osso mandibular. Uma vez que o implante é posicionado no local predeterminado, suturas absorvíveis são comumente utilizadas para segurar o implante no lugar e fechar as incisões.

Internação: Sem internação

Anestesia: Local, com sedação.

Geral.

 

1.g.  Aumento labial (Bioplastia labial)

Melhora o preenchimento estético dos lábios, através das três técnicas: injeção, enxerto de gordura e retalhos locais. Esse procedimento às vezes é feito em conjunto com outros implantes faciais, Botox, peeling ou resurfacing a laser. A bioplastia labial também pode reduzir as finas linhas e rugas ao redor da boca.

Duração: De 15 minutos a 2 horas. A maioria dos procedimentos é feita em 1 hora ou menos.

Efeitos Colaterais: Reações alérgicas podem variar de vermelhidão prolongada, inchaço, coceira ou endurecimento no local da injeção.

Recuperação: Retorno à atividades normais: normalmente em um dia. Se usada a técnica de enxerto, de 1 a 2 semanas.

Riscos: Possíveis complicações incluem sangramento, lábios superior e inferior desiguais, mudança de local do implante ou extrusão pela pele. A técnica do enxerto também pode deixar os lábios um pouco duros de 2 a 3 meses.

Resultados: Dependendo do material utilizado, pode durar de semanas e meses à permanente.

Restylane pode durar de 9 a 12 semanas, enquanto alguns preenchedores injetáveis podem durar até 6 anos.

Tecnologia: O colágeno e a transferência da gordura do próprio paciente são normalmente utilizadas com injetáveis modernos, como Restylane. Entre a variedade de técnicas utilizadas para o aumento de lábios há o rejuvenescimento labial, um procedimento não-invasivo que enrijece o colágeno natural e o tecido elástico abaixo dos lábios; e o procedimento invasivo, aumento labial V-Y, que requer grandes incisões na parte interna dos lábios.

Embora os lábios permaneçam inchados de 3 a 9 meses após a cirurgia, esse procedimento é considerado o mais durável.

Internação: Sem Internação

Anestesia: Local, com sedação

Tópica

 

1.h. Remoção de Sinais de Pele

A remoção de sinais da pele oferece uma solução para indivíduos que querem remover lesões cutâneas indesejadas de seu corpo. Esse procedimento pode ser realizado utilizando vários métodos, um sinal pode ser raspado, removido cirurgicamente, ou atenuado com tratamento a laser.

Duração: De 15 minutos a 1 hora

Efeitos Colaterais: Irritação da pele, cicatrização em diferentes níveis.

Recuperação: Sem repouso

Riscos: Possibilidade de infecção, reação alérgica a anestesia.

Resultados: Permanente

Tecnologia: O método de remoção é determinado pelo cirurgião e depende da condição da lesão da pele. A raspagem é tipicamente utilizada para tratar verrugas planas. Depois de a pele ser anestesia com uma anestesia local, a lesão acima da superfície da pele é removida com um bisturi.

Se houver suspeita de melanoma, uma biopsia é necessária.

Através desse método, um médico remove a lesão em sua totalidade e a ferida é suturada.

Como o laser colaba os vasos sanguíneos e evapora os tecidos que remove, a necessidade de corte e sutura é eliminada com o tratamento a laser. (Pêlos mais grossos que às vezes crescem na verruga só podem ser removidos permanentemente com a exérese de toda a verruga)

Internação: Sem internação

Anestesia: Local

 

1.i. Cirurgia plástica das pálpebras (Blefaroplastia) 

Corrige pálpebras com excesso de pele, inchadas ou caídas, bem como bolsas acima e abaixo dos olhos. A condição é causada quando gorduras forçam sua saída através das camadas dos músculos.

Duração: De 1h à 2h

Efeitos colaterais: Cansaço temporário das pálpebras, inchaço, machucado, queimação e coceira. Lacrimejamento excessivo e sensibilidade à luz nas primeiras semanas.

Recuperação: As pálpebras podem dar sensação de pesadas e feridas quando o efeito da anestesia passar, contudo, qualquer desconforto pode ser controlado através de medicação via oral.

Leitura: 2 ou 3 dias. Retorno ao trabalho: 7 a 10 dias. Lentes de contato: 2 semanas ou mais. Atividades físicas e álcool: aproximadamente três semanas. Inchaço e sensibilidade nas pálpebras: várias semanas.

Riscos: Hematoma, sangramento, inchaço (edema), infecção, leve assimetria na cicatrização, dificuldade em fechar os olhos completamente (raramente permanente) e caimento das pálpebras inferiores.

Resultado: Muitos anos. Às vezes permanente.

Tecnologia: Remoção de excesso de pele das pálpebras e retirada de bolsas gordurosas quando necessário. Ela pode ser realizada através da conjuntiva para retirada de bolsas, ficando a cicatriz internamente.

Internação: Com internação

Anestesia: Local com sedação

Geral

 

1.j. Plástica de Nariz (Rinoplastia) 

Remodela o nariz reduzindo ou aumentando o tamanho, removendo saliências, estreitando as narinas, mudando o ângulo entre o nariz e o lábio superior, ou mudando o formato da ponta ou dorso. Rinoplastia pode ajudar a aliviar problemas respiratórios (neste caso -Rinosseptoplastia – é coberto pelo plano se saúde)

Duração: De 1 a 2 horas, ou mais

Efeitos Colaterais: Inchaço, dormência, equimose ao redor dos olhos, nariz e dores de cabeça temporários, junto com sangramento e rigidez. Algumas rinoplastias requerem o uso de uma tala sobre o nariz. Equimose (uma marca de sangue debaixo da pele e abaixo dos olhos) ocorre freqüentemente.

Recuperação: Fumantes são aconselhados a não fumar até que o nariz esteja completamente cicatrizado. Um inchaço menor deve continuar por meses. Os pacientes devem evitar esticar-se, dobrar, levantar, e usar óculos de sol logo após a cirurgia. Retorno ao trabalho: 1 a 2 semanas. Atividades mais árduas: 2 a 3 semanas, com exposição limitada ao sol.

Riscos: Pequenos rompimentos dos vasos sangüíneos podem aparecer como pequenos pontos vermelhos na superfície de pele; normalmente menor, mas pode ser permanente.

Resultado: Permanente, mas pode demorar um ano para o resultado final aparecer. Um segundo procedimento corretivo é raramente necessário.

Tecnologia: A pele do nariz é separada da sua estrutura do osso e cartilagem, a qual o cirurgião esculpe na forma desejada. A natureza da escultura depende da necessidade e da técnica que seu cirurgião utilizará. A pele, então, é recolocada sobre a nova estrutura. A maioria dos cirurgiões coloca os pontos dentro do nariz.

Internação: Sem internação – normalmente

Anestesia: Local, com sedação.

Geral

 

1.k. Cirurgia de Orelhas (Otoplastia) 

Reduz o pólo superior da orelha, lóbulo ou reposicionamento da orelha em relação à cabeça (correção de orelha em abano).

Duração: De 2 a 3 horas.

Efeitos Colaterais: Dor, inchaço, vermelhidão e dormência (os pacientes são aconselhados a não dormirem de lado para reduzir a pressão nas orelhas)

Recuperação: De volta ao trabalho ou escola: de 5 a 7 dias. Atividades físicas pesadas e a prática esportiva: de 1 a 2 meses.

Riscos: Infecção da cartilagem, cicatrização excessiva, coágulos. Orelhas desiguais ou com aparência artificial. Nesse caso, é realizada uma nova cirurgia.

Resultados: Permanente.

Tecnologia: O tipo de incisão usada para a cirurgia de orelhas depende da extensão do problema, e mesmo quando apenas uma orelha parece proeminente, a cirurgia é realizada nas duas orelhas para um melhor resultado. Em uma das técnicas mais utilizadas, o cirurgião faz uma pequena incisão na parte de trás da orelha, para expor a cartilagem, e então esculpe a cartilagem, de modo que fique mais perto da cabeça. Ocasionalmente, uma parte da cartilagem pode ser removida para dar uma aparência mais natural à dobra da orelha.

Outra técnica envolve uma incisão similar, remoção da pele e grampos utilizados para dobrar a cartilagem de modo a remodelá-la, sem haver necessidade de remoção.

Internação: Com internação

Anestesia: Geral

Local com sedação

 

1.l. Transplante capilar

Envelhecimento, hereditariedade e uma sensibilidade maior à testosterona (em homens) são alguns dos fatores mais comuns que levam à calvície. A cirurgia de transplante capilar pode melhorar a vida das várias pessoas que se sentem constrangidas e frustradas quando percebem que ficarão calvas. Esse procedimento estético restaura o cabelo no couro cabeludo, que melhora visivelmente a aparência do cabelo. Esse procedimento retira o cabelo dos lados ou atrás da cabeça e os transfere para as áreas de calvície. O transplante capilar também pode dar ótimos resultados em mulheres.

Duração: Entre 4 ou 6 horas, dependendo da extensão do procedimento (por sessão de tratamento)

Efeitos colaterais: Dores de cabeça (devido à manipulação e tração no couro cabeludo), crostas de cicatrização, sangramento mínimo, dormência ou hiper-sensibilidade no couro cabeludo, e inchaço ao redor da testa e área dos olhos.

Recuperação: Desconforto leve a moderado, controlado por medicação. Suturas na área de doação são removidas em 2 semanas. Os pacientes voltam à rotina em seguida, mas exercícios mais fortes devem ser evitados por várias semanas. Lavar o cabelo somente após 24 horas. Retorno ao trabalho: aproximadamente 2 dias.

Riscos: Cicatriz, dormência, infecção (raramente).

Resultados: Permantente. Crescimento de cabelo significativo somente após vários meses da cirurgia. Para obter os melhores resultados mais de uma sessão deve ser realizada (o número de sessões dependerá de: 1 – área do couro tratada; 2 – o número e tamanho de enxertos realizados; 3 – a densidade de tratamento; 4 – as características individuais do paciente, como por exemplo: um cabelo mais grosso vai produzir um efeito mais denso do que cabelos finos. A estimativa do número de sessões pode ser discutida durante a consulta com seu cirurgião.)

Tecnologia: O transplante capilar realoca folículos capilares do local de doação para as áreas de calvície do couro cabeludo. (Antes de o cirurgião realizar o procedimento, ele analisará a área de doação). Uma porção dessa área será removida com um bisturi para enxerto e depois a área é costurada. Sessões individuais do cabelo, que são chamadas de unidades foliculares e micro enxertos, são extraídos da peça do couro removida usando lentes de aumento e uma lâmina afiada. Minúsculos orifícios são feitos na área que receberá o enxerto e o cabelo retirado da área de doação, é cuidadosamente implantado.

Internação: Sem internação

Anestesia: Geral

 

2.a. Cirurgia de Correção Para simetria Mamária

O tratamento de assimetria das mamas é utilizado para corrigir diferença em tamanhos, formatos ou posição dos aréolas e é realizado em mulheres que já tenham a puberdade completa, porque não se espera continuidade de desenvolvimento das mamas.

Duração: De 1 a 3 horas

Efeitos Colaterais: Desconforto leve a moderado, inchaço e equimose.

Recuperação: Volta ao trabalho: 1 a 2 semanas

Riscos: Enrugamento visível do implante, perda de sensibilidade no mamilo, assimetria persistente, ruptura do implante ou mudança de lugar, infecção, hematoma e contratura capsular.

Resultados: A redução é permanente ou pode aumentar com o ganho de peso ou mudança hormonal. Implantes requerem revisão de 5 a 10 anos.

Tecnologia: O cirurgião pode aumentar uma mama pequena com um implante, reduzir um seio grande, ou usar dois implantes de tamanhos diferentes. Assimetria é um processo individual, com várias possibilidades de locais para incisão: ao redor da aréola, no sulco inframamário, nas axilas.

Internação: Com internação ou sem internação

Anestesia: Geral

Local com sedação

Peridural

 

2.b. Aumento das mamas (Mamoplastia de Aumento) 

Tecnicamente conhecida como Mamoplastia de Aumento, o aumento das mamas é realizado com implantes. Pode corrigir uma queda das mamas após gravidez, ajudar a balancear diferença em tamanhos ou ser implantado como uma técnica reconstrutiva após uma cirurgia nas mamas.

No Brasil, o aumento das mamas é realizado com implante de silicone.

Duração: 1 hora ou mais

Efeitos Colaterais: Equimose, inchaço e mudança na sensibilidade do mamilo temporários. Mamas sensíveis à estimulação por várias semanas.

Recuperação: Retorno ao trabalho: 3 a 7 dias. Atividades físicas: 2 a 3 semanas. Inchaço e machucado: 3 a 6 meses.

Riscos: A contratura capsular ao redor do implante pode deixar os seios enrijecidos ou duros; sangramento ou infecção. Aumento ou perda de sensibilidade dos mamilos ou pele dos seios ocasionalmente permanente.

Resultados: Variáveis. Implantes podem precisar de remoção ou recolocação.

Tecnologia: Para esconder a cicatriz, o cirurgião pode inserir os implantes através de uma incisão na axila, através da aréola ou no sulco abaixo das mamas. Alguns cirurgiões utilizam a técnica conhecida como aumento dos seios transumbilical, no qual os implantes são inseridos pelo umbigo através de um endoscópio (somente realizado nos EUA).

Internação: Sem internação

Anestesia: Geral

Peridural

Local com sedação

 

2.c. Revisão do Implante de Mamas 

Revisão do implante de seios foi desenvolvido para corrigir um procedimento mal sucedido que, ou criou um problema estético, ou pode gerar um problema de saúde. Esse procedimento envolve a remoção e reposição do implante para corrigir a complicação específica. Os problemas mais comuns são contratura capsular, sensibilidade dos mamilos ou perda de sensibilidade, enrugamento, ruptura ou sintomas de desordem do sistema imunológico.

Duração: De 1 a 3 horas

Efeitos Colaterais: Seguido da cirurgia, você vai sentir muito cansaço, pele machucada e/ou enrijecida. Possibilidade de infecção.

Recuperação: Para uma recuperação rápida e saudável, é importante que se siga as instruções do médico. Suas cicatrizes ficarão rosas por várias semanas, mas devem começar a clarear em breve. Os seios podem parecer duros e artificiais durante o período de inchaço, mas voltarão ao normal eventualmente. Durante os primeiros dias após a cirurgia, você deve tentar conter o movimento dos seus braços ao máximo (não devem ser levantados acima das axilas), para ajudar a prevenir os músculos e tecidos de esticarem e separarem.

Remoção dos pontos: de 1 semana a 10 dias. Retorno ao trabalho: 1 a 2 semanas.

Riscos: Possibilidade de hematoma, contratura capsular, sensibilidade dos mamilos ou perda de sensibilidade, enrugamento, ruptura ou sintomas de desordem do sistema imunológico. (Embora você possa estar realizando a cirurgia de implante de seios pela segunda ou terceira vez, os riscos são os mesmos).

Resultados: Longa-duração; mas você deve visitar seu médico periodicamente para ter certeza que seus implantes não estão oferecendo nenhum risco à sua saúde.

Tecnologia: As opções de posicionamento do implante e incisão são similares às utilizadas na cirurgia de aumentos dos seios.

Dependendo da sua preferência e a recomendação do médico, a incisão pode ser feita em um dos seguintes lugares: no sulco abaixo das mamas, ao redor da aréola, embaixo das axilas ou através do umbigo (este último somente nos EUA). O médico irá remover o implante antigo com novos implantes na mesma área. Dependendo de uma variedade de fatores, eles podem ser colocados abaixo do músculo peitoral ou diretamente abaixo da glândula mamária. Geralmente, durante a cirurgia de revisão do implante de seios, seu médico deve ser cauteloso sobre onde coloca os implantes, assim não terá que revisá-los no futuro.

Internação: Sem internação

Anestesia: Geral.

Peridural.

 

2.d. Reconstrução das Mamas 

Restaura a aparência das mamas que tenham sido removidas cirurgicamente por câncer ou outra doença. A reconstrução mamária pode ajudar os seios de uma mulher parecerem iguais quando utilizar um sutiã, retomando permanentemente o contorno e com a conveniência de não precisar de nenhuma prótese externa.

Duração: Normalmente 1 a 2 horas. Devido a microcirurgia necessária para a ligação de veias, as cirurgias autólogas podem demorar mais.

Efeitos Colaterais: Perda de sensibilidade normal, embora alguma sensibilidade possa retornar.

Recuperação: Aproximadamente 6 semanas para se recuperar de uma mastectomia e reconstrução combinadas, ou de uma reconstrução autóloga. A maioria das cicatrizes desaparece com o tempo, mas demoram alguns anos para suavizar.

Riscos: Sangramento, coleta de fluido, cicatriz excessiva, infecção e problemas com anestesia. Os implantes podem mudar ou vazar, exigindo remoção. Usar um implante tem um risco remoto de infecção ou contratura capsular, uma condição que deixa o implante e os seios enrijecidos. A contratura capsular pode ser tratada com outra cirurgia para remover a cápsula formada, inserindo uma nova prótese. Assim, como em qualquer outra cirurgia que utilize retalhos, a revascularização do tecido microcirúrgico pode ficar comprometida acarretando perda do mesmo.

Resultados: Permanente. Normalmente precisa de acompanhamento.

Tecnologia: Novas tecnologias e técnicas fizeram com que seja possível aos cirurgiões recriarem mamas que parecem bem naturais. O tecido do próprio paciente é usado em várias operações, conhecidas como TRAM, DIE e EARLI. A reconstrução dos seios normalmente é feita assim que o seio é removido (mastectomia), enquanto a paciente ainda está sob anestesia.

Internação: Com internação

Anestesia: Geral

 

2.e. Redução de Seios (Mamoplastia Redutora) 

Cirurgia plástica indicada para mulheres que têm mamas grandes demais, pesadas, desproporcionais com relação à estrutura física, causando problemas de postura e na coluna.

Duração: Entre 2 e 5 horas.

Efeitos Colaterais: Equimose, inchaço, desconforto, dormência temporários.

Recuperação: Após 15 dias, mas apenas atividades que não exijam esforços dos braços. Dirigir e fazer atividades físicas são liberados somente após o segundo mês do pós-operatório.

Riscos: Cicatrizes grandes demais, perda de sensibilidade na aréola, assimetria entre as mamas e deslocamento das aréolas. Pequenas assimetrias podem ser corrigidas com um retoque cirúrgico após 6 meses e a sensibilidade da aréola deve ser recuperada a partir do terceiro mês da cirurgia.

Resultados: Longa duração. Flutuação de peso e envelhecimento podem afetar os resultados.

Tecnologia: Uma incisão em T, L ou I (conforme o formato da mama, estrutura e desenho da aréola) é feita. O cirurgião então retira o excesso de glândula mamária e/ou gordura, elimina o excesso de pele, reposiciona a aréola e faz a sutura para garantir o novo formato.

Internação: De 12 a 24 horas.

Anestesia: Geral. Alguns médicos optam pela peridural, mas nem sempre ela atinge toda a região, causando certo desconforto para a paciente.

 

2.f. Redução de Mama Masculina (Ginecomastia)

Reduz as mamas que cresceram exageradamente e ficaram com formato feminino, em homens, através de lipoaspiração e/ou removendo o excesso de tecido glandular. Essa condição é conhecida como “ginecomastia” (a redução das mamas masculinas é coberta, às vezes, pelo plano de saúde).

Duração: 1 hora ou mais

Efeitos Colaterais: Equimose, inchaço, dormência e queimação temporários.

Recuperação: Retorno ao trabalho: 3 a 7 dias. Atividades mais intensas: 2 a 3 semanas. Inchaço e Equimose: 3 a 6 meses.

Riscos: Infecção, acúmulo de fluídos, equimose,  pele enrugada ou em excesso,  e assimetria. Mudança da pigmentação (possivelmente permanente se exposta ao sol). Cicatrização hipertrófica se o tecido for cortado, o que gera a necessidade de um procedimento posterior para a remoção de tecido adicional.

Resultado: Permanente, embora o ganho de peso ou uso de certas drogas possa retornar a condição.

Tecnologia: Uma incisão é feita na aréola, a área escura que circunda o mamilo, ou nas axilas. O tecido adiposo e glandular é removido para criar um peito mais reto e firme, contribuindo para um contorno mais masculino. Lipoaspiração pode ser realizada em conjunto com a redução de mama masculina.

Internação: Sem internação – na maioria dos casos

Anestesia: Local, com sedação.

Geral

Peridural

 

2.g. Mamoplastia Periareolar (Benelli) 

Esse procedimento foi desenvolvido para elevar mamas pequenas que não têm ptose severa, através da remoção de um segmento de tecido do formato de um donut ao redor da aréola. A Mamoplastia periareolar é menos invasiva que a mastopexia completa.

Duração: De 1 a 3 horas – não deve ser tão demorada quanto a mastopexia completa.

Efeitos Colaterais: Equimose, inchaço, desconforto, dormência,  temporários.

Recuperação: Retorno a atividades normais: aproximadamente 1 semana. Retorno ao trabalho: aproximadamente 1 semana. Retorno a atividades físicas: 1 mês.